[In]significativo


Hoje, o blog completa um mês. Tanto esse mês que está acabando quanto o que o antecedeu foram bastante intensos para mim, então, é bom ter esse espaço só meu, para onde eu possa fugir de vez em quando. Porém, nessa loucura chamada "vida real", eu acabei não conseguindo fazer muito do que gostaria de ter feito nesse tempo. Não mexi no template, não planejei os posts, não organizei as tags, nada. E sábado, ledo um post no blog da Rute, eu percebi que ainda não falei sobre o nome do blog.

Sou péssima com nomes. Nomes são importantes, mesmo que Shakespeare diga o contrário; nomes alimentam expectativas e definem personalidades. Ainda que seja o nome de um site, não de uma pessoa, é um site que tem uma pessoa por trás e pessoas são complexas. (Eu não pretendo ter filhos, mas, se tiver, imaginem como será divertido nomeá-los...) Eu queria algo que representasse quem eu sou e o que é importante para mim, não apenas no presente, mas pelo tempo [indeterminado] que o blog existir.

Não me lembro exatamente a linha de raciocínio que me levou a Insignificativo. Sei que foi no dia 8 de julho e que eu tinha acabado de ouvir Masterpiece, da Jessie J, e Broken Ones, da Jacquie Lee, duas músicas que eu adoro. Lembro-me de ter ficado com perfectly incomplete na cabeça por um bom tempo, tentando encontrar um bom equivalente em português. Até que, de alguma forma, uma única palavra brilhou.

Eu amo Física. Em um mês de blog, já é a segunda vez que comento sobre isso, porque é realmente algo que faz os meus olhos brilharem. O conceito de algarismos significativos sempre me intrigou. Nas minhas aulas experimentais da faculdade, sempre quis ter um instrumento com precisão maior, para poder conhecer o dígito seguinte. A verdade é que nunca é possível conhecer inteiramente um número.

O mesmo acontece com as pessoas. Quanto mais de perto você observa, mais próxima da realidade é a sua conclusão, mas, ainda assim, incompleta. Ninguém é um número inteiro, todos temos camadas e mais camadas de algarismos que nem sempre podemos mostrar, mas que estão lá, fazem parte da nossa essência, da nossa personalidade. É pretensão julgar alguém apenas pelo que estamos aptos a observar em determinado instante.

Eis algo que sempre foi e sempre será importante para mim. Meu objetivo a cada dia: Enxergar além e lutar para que os outros também enxerguem. Eis o nome perfeito para o meu novo companheiro blog.

CONVERSATION

Back
to top