Uma Manhã Gloriosa (Morning Glory)



Uma Manhã Gloriosa (Morning Glory, 2010) é uma comédia diferente. Tem todo um clima de comédia romântica, porém, o romance não ocupa muito espaço. Assim como na vida de Becky Fuller (Rachel McAdams), uma produtora que acaba de ser contratada para elevar a audiência de um programa matinal. Após demitir um âncora irresponsável, Paul McVee (Ty Burrell), a solução que ela encontra é trazer Mike Pomeroy (Harrison Ford) para apresentar o programa junto com Colleen Peck (Diane Keaton). O problema é que Mike só aceitou o cargo porque foi obrigado e não está nem um pouco interessado em entretenimento matinal; para ele, só o que importa é o jornalismo sério e informativo.

Em paralelo, Becky tenta engrenar um romance com o colega Adam Bennett (Patrick Wilson), mas, como eu disse antes, essa parte fica em segundo plano. Becky precisa mesmo é conquistar Mike e convencê-lo a se esforçar para que o programa não afunde ainda mais. E o ponto alto do filme é realmente o relacionamento entre os dois.

Eu amo personagens mal-humorados, amo pessoas horríveis e Mike é a terceira pior pessoa do mundo. Dizem que Harrison Ford é assim na vida real, mas, mesmo se não for, o personagem parece ser perfeito para ele. Por outro lado, Colleen, que eu gostaria que tivesse tido mais destaque, é expansiva e apresenta qualquer coisa com um sorriso no rosto, ainda que seja um sorriso falso (o que me faz questionar se a Fátima Bernardes realmente acredita que o programa dela é bom, ou só finge, porque é tarde demais para reivindicar de volta a sua cadeira no Jornal Nacional).

Embora o roteiro não seja o melhor do mundo, as interações entre os três personagens principais são ótimas. Becky é jovem, mas muito esforçada, ela corre atrás do que quer até conseguir e não tem medo de se impor diante dos egos com que precisa lidar para alcançar o seu objetivo e manter o seu emprego. Eu me identifiquei um pouco com ela nesse ponto, porque já tive que lidar com pessoas bem difíceis no trabalho (mais difíceis do que eu, o que ainda me surpreende) e é sempre exaustivo. Também me identifiquei com o fato dela deixar os relacionamentos amorosos em segundo plano e não perceber quando alguém está interessado.

Baseado no romance homônimo de Diana Peterfreund, Uma manhã gloriosa não é um filme maravilhoso e imperdível, mas é uma comédia leve, com um final bonitinho, que vale a pena assistir quando você não tem nada melhor pra fazer.

- I will have you know that this show is very important to a lot of people, including, but not limited, to me! My ass on the line here.
- Actually, your ass is irrelevant. You're just a footnote. It's my ass. My reputation. My integrity.

CONVERSATION

Back
to top