A Escolha Perfeita (Pitch Perfect)


Becca é aquele tipo de garota que ouve mais o que sai de seus fones de ouvido do que o que sai de uma outra pessoa. Quando chega na universidade, ela descobre que não se encaixa em nenhum grupo. Mas acaba participando de um grupo que ela nunca teria escolhido: junto com garotas malvadas, outras boazinhas e esquisitas cuja única coisa que têm em comum é o ótimo som que criam quando cantam juntas na nova comédia 'A Escolha Perfeita'. Quando Becca conduz este grupo de canto acústico de seu mundo de arranjos tradicionais e harmonias perfeitas para combinações totalmente novas, elas lutam para alcançar o topo do feroz mundo universitário cantando à capela. Isto poderia acabar sendo a coisa mais legal ou a coisa mais insana que jamais fizeram e, provavelmente, será um pouco das duas. Cheio de novas tomadas de antigos sucessos até sucessos atuais que são continuamente misturados, combinados e com arranjos jamais ouvidos, o filme 'A Escolha Perfeita' tem direção de Jason Moore, que abriu nossos olhos para a vida cheia de travessuras dos fantoches na surpreendente sensação da Broadway Avenida Q.
Eu tinha preconceito com Pitch Perfect. Não pela história em si, que até parecia boa, mas porque comecei a assistir uma vez e... Na primeira cena, uma garota num palco vomita na plateia. Humor escatológico tem seu lugar - e é até bastante utilizado em uma das minhas séries favoritas - mas, definitivamente, não era o que eu esperava. Algum tempo se passou - 1 ano e 8 meses, de acordo com meus registros - e o Netflix começou a me recomendar o filme. Resolvi tentar novamente. Não costumo fazer isso, a vida é muito curta para insistir no que a gente não gosta, mas eu tinha visto tão pouco da primeira vez e todo mundo falava tão bem, que abri uma exceção.

Comecei a assistir, esperando uma comédia romântica musical quase adolescente, com cenas fofinhas, levinhas, engraçadinhas e personagens dez anos mais novos que eu. Nenhum problema, eu gosto de filmes assim. O que eu encontrei, porém, foi muito mais que isso.

As músicas e o ambiente de faculdade são um pano de fundo leve e divertido para uma história cheia de lições que podem ser aplicadas em qualquer momento da vida - e eu gostaria de entender o bastante do assunto para fazer uma avaliação mais profunda. Em especial, Pitch Perfect é um filme sobre competição, sobre colaboração, sobre liderança.

But if you think this is just some high school club where you can sing and dance your way through any social issue... Or confuse sexuality, you have come to the wrong place. There is none of that here. That's high school. This shit is real life. NOW. don't just bring it, sing it, and let's do this.

Há cerca de 3 anos, eu tenho estudado sobre liderança, principalmente no ano passado. Essa é uma coisa que gosto de fazer e sei que posso ser boa fazendo. Hoje, eu sou aquela pessoa que chega distribuindo tarefas no meio de uma crise, mas já fui a líder perdida, já fui a tímida, já fui o braço direito dos bastidores (pensando bem, eu ainda sou um braço direito nos bastidores, o que também é uma boa posição), já fui muita coisa em quase 12 anos de profissão e mais alguns em que tive cargos na igreja. Foi muito legal enxergar várias fases da minha vida naqueles personagens e torcer para que eles se encontrassem.

Se você prestar atenção, provavelmente vai conseguir encaixá-los na sua vida e nas pessoas com quem convive. Uma que me chamou muita atenção foi Aubrey (Anna Camp), a líder tradicional, vivendo segundo regras ultrapassadas e achando um absurdo qualquer sugestão que fosse contra as suas ideias pré-concebidas. É triste como tem tanta gente assim, se afogando e sem perceber que a solução pode estar mais perto do que se imagina. Por outro lado, me identifiquei muito com Becca (Anna Kendrick), principalmente pela forma como ela passou da indiferença à paixão, ao desejo de querer fazer aquele grupo vencer, e como ela soube usar cada integrante da melhor forma. Acho que um grande desafio para quem trabalha com equipes é lidar com pessoas tão diferentes, mesmo quando são equipes pequenas.

Quero falar mais sobre isso no futuro. Talvez, até assista ao filme novamente e consiga fazer algo mais detalhado. Também pretendo ver a sequência, pelos comentários, parece que também é muito boa. Enquanto isso, quem com a minha recomendação e o vídeo da apresentação final, que me deixa até arrepiada.

CONVERSATION

Back
to top