[Assisti] Thelma e Louise


Acho que já contei para vocês que minha relação com filmes é um namoro de fim de ano, certo? Assisto um monte de coisas na última semana de dezembro, depois a gente se despede e volto a ver (ou rever) só séries até o Natal seguinte. Não me perguntem o motivo, é assim que a gente funciona. Acontece que eu nunca ligo para quais são os filmes do ano, do que as pessoas estão falando, vou assistir o que der vontade no momento. Tanto que, no Oscar, eu fui a pessoa que torceu pro DiCaprio porque gostei de A Origem, já que sou completamente incapaz de opinar sobre os lançamentos do ano passado. Daqui a 10 anos vocês me verão falando sobre O Retorno, O Quarto de Jack e Deadpool.

Por causa disso, há vários filmes antigos, desses que todo mundo já viu, e eu não. Thelma & Louise era mais ou menos um desses casos. Mais ou menos, porque eu tenho certeza que já o havia assistido em algum momento da vida, só não me lembrava, porque eu sonhei com o filme.

Eu sei que a internet fica nesse mimimi de "ninguém está interessado nos seus sonhos", mas os meus são engraçados, umas coisas no nível Real Paul Anka x Dog Paul Anka, então eu preciso registrá-los, aí mando e-mail para os amigos. Esse sonho aconteceu no dia 23/12/14. Tinha mais coisa envolvida - incluindo um casamento, personagens de séries e uma câmera oculta no bordado da blusa da minha chefe - mas vou copiar só o parágrafo que fala do filme.

Depois de dar um amassos num garoto muito mais novo que eu, eu fui viajar com umas amigas (que eu nunca vi na vida) e uma delas esqueceu uma coisa qualquer em casa. Enquanto elas estavam na fila do banheiro em um posto qualquer de um lugar que parece aquelas estradas desertas americanas (posso jurar que vi algo parecido com um cacto), eu peguei o carro, um conversível velho que mal me cabia e voltei pra buscar. Tava usando um lenço no pescoço, que nem em um filme que eu não me lembro qual é, um antigo que tem duas amigas viajando.

Obviamente, depois disso, eu tive que descobrir qual era esse filme e assisti-lo direito. Cheguei a pensar que fosse Romy & Michelle, que eu adoro, ou aquele da Britney Spears, mas era esse mesmo.


Talvez, por toda essa vibe do meu sonho maluco, eu cheguei esperando uma comédia bem leve, e o início me fez acreditar que poderia ser isso mesmo. Altas aventuras com duas amigas do barulho viajando pelo deserto. Até que, de repente, a coisa fica séria e uma delas comete um crime. Louise (Susan Sarandon) mata um homem.

Embora, a princípio, a mudança no tom do filme tenha me assustado, foi também nesse momento em que o filme me fisgou, por dois motivos. Primeiro porque, de certa forma, as duas protagonistas saíram do papel de mocinhas. Não que elas tenham se tornado vilãs, já que a vítima havia tentado estuprar Thelma (Geena Davis) e poderia tentar fazer mal a elas novamente, mas, ainda assim, foi um crime. O segundo motivo, que acabou fortalecendo o primeiro, foi o fato de Louise ter feito o que fez pela amiga. Isso me criou uma empatia imediata com ela, porque é exatamente o tipo de coisa que eu teria feito.

Thelma era chata, insegura e inconsequente, ela era uma mulher casada e não deveria ter se envolvido com outro homem. Louise sabia disso, mas Thelma, acima de tudo, era amiga dela.


Eu não resisto a boas amizades da ficção. É um tipo de relacionamento que me fascina, pois não há nenhum parentesco, nenhum compromisso, nenhuma obrigação, apenas pessoas que, por algum motivo, decidem estar ali uma pela outra. O filme todo gira em torno dessa amizade; não dos crimes que elas cometem, não da jornada, mas de como elas se sustentam e são melhores juntas - ainda que cada vez mais fora da lei.

Claro que nem tudo é perfeito, há algumas cenas forçadas, até mesmo algumas incoerências. Também não tenho certeza se gostei do final, embora reconheça que fosse o único final possível. Porém, agora eu entendo por que é um filme tão aclamado, daqueles que as pessoas se assustavam quando eu dizia que nunca havia assistido.


CONVERSATION

Back
to top