Em março - Aquele da treta


Finalmente, Março acabou. Como eu comentei em posts anteriores, esse foi um mês complicado. Não chegou a ser ruim, mas foi pesado e exaustivo. O projeto em que estou trabalhando chegou a uma fase crítica, ao mesmo tempo em que minhas férias se aproximavam, então eu não apenas acabei trabalhando mais horas que o normal, como essas horas foram mais densas. Na semana passada, por exemplo, eu praticamente não conversei com os meus amigos ou colegas mais próximos, nem mesmo nas horas de folga, porque interagir exigia um nível de energia que não estava disponível. Não sei como consegui manter o blog atualizado, tive que fazer vários arranjos para escrever os posts que estavam mais fáceis e não perder o ritmo. Até esse resumo será mais simples que os dos meses anteriores, porque esta semana, embora mais tranquila que a anterior, ainda está difícil.

No blog



Offline

Já comentei que o meu mês teve muito trabalho. Também teve um feriado, que eu passei jogada no sofá vendo séries e comendo besteira e teve planejamento da minha viagem de férias (o que também me deu um pouco de dor de cabeça, mas já foi tudo resolvido).

Uma coisa legal que aconteceu no mês foi que eu me encontrei com uma pessoa que não via há 12 anos. Minha turma do Cefet, sobre o qual eu comentei no post de segunda-feira, mantém contato até hoje, mas eu praticamente só observo (eles discutem política praticamente o tempo todo no whatsapp; gosto de ler as opiniões, mas não tenho pique para participar ativamente). Um dia, eu postei no Instagram a foto de uma esquina próxima ao meu trabalho, que uma colega reconheceu, comentou que também trabalha por aí e me chamou para almoçar. Confesso que fiquei um pouco apreensiva, mas o almoço foi ótimo, nem sentimos o tempo passar. O Cefet é quase uma daquelas fraternidades das faculdades americanas, que aparecem muito nas séries, é uma conexão diferente. Ninguém precisa ser melhores amigos, mas uma vez cefetiano, cefetiano para sempre. Exceto se você for o Felipe, mas, nesse caso, você que é o estranho.



Em breve

Planejo escrever muita coisa nas férias e deixar posts programados para várias semanas. É óbvio que eu não vou conseguir fazer tudo o que quero, mas quero adiantar o máximo que puder dos posts mais fáceis para me concentrar nos mais elaborados depois. Podem esperar uma maior variedade de temas (ou talvez o correto seja um maior equilíbrio entre os temas), pois estou tentando separar alguns assuntos para certos dias da semana. Na programação tem post sobre viagem (óbvio), tem playlist, um livro que terminei há algum tempo e sobre o qual ainda não consegui escrever, uma série que estou tentando terminar, um post pessoal que está rascunhado há [literalmente] anos, mais um que eu sei que vou sofrer para escrever e um sobre a agenda do blog.



Eu Recomendo

Caso você ainda não siga o blog no Twitter, lá tem #EuRecomendo a qualquer momento.
  • Um assunto muito falado esta semana foi a possível mudança no feed do Instagram. Eu também não gostei muito a princípio, mas não fiquei tão revoltada quanto a maioria, primeiro porque conheço um pouco os fatores que levam a esse tipo de decisão, mas também porque pode acabar sendo uma coisa boa, no final das contas (nunca se sabe). Gostei bastante do texto Strategies to beat the 2016 Instagram update.
  • Para terminar no clima de viagem em que já estou entrando, a Lilian descobriu uma rede social muito legal de perguntas e respostas sobre viagens, a Dubbi (já entrei, me cadastrei e até respondi) e a Fernanda conheceu Singapura.


Fico por aqui, desejando que Abril seja um mês mais leve, divertido e cheio de boas notícias. 

CONVERSATION

Back
to top