Mesmo se nada der certo (Begin again)

Keira Knightley e Mark Ruffalo
A cantora inglesa Greta (Keira Knightley) se muda para Nova Iorque, mas logo após chegar ao local, Dave (Adam Levine), seu namorado, decide terminar o relacionamento. Em plena crise, seu amigo a convence a cantar em um bar, onde é descoberta por Dan (Mark Ruffalo) um produtor de discos famoso que atualmente é um fracassado , certo de que ela pode se tornar uma estrela. (Fonte)

A Netflix me conhece bem. Por várias semanas, sempre que eu entrava no site à procura de um filme Mesmo se nada der certo aparecia nas sugestões. Cheguei a adicioná-lo na minha lista, onde ele ficou esquecido, junto com dezenas de outros filmes. Até que eu viajei para Foz do Iguaçu e a Annie o escolheu para assistirmos um dia - não há nada mais "girls time with your bff" que comédia romântica musical com o Mark Ruffalo e o Adam Levine, ainda que o primeiro pareça ter sido embarangado de propósito no início do filme e o segundo ostente, em algumas cenas, um bigode que deveria ser proibido por alguma lei universal.
Keira Knightley e Adam Levine
Uma imagem sem o bigode, para não desanimar ninguém de assistir.
Com um ar levemente cult, bastante música e nada da comédia romântica que eu imaginava, o filme se provou uma escolha excelente. A música deixou leve uma história que, de outra forma, poderia ser pesada e entediante, mas sem tirar a honestidade e humanidade dos personagens. Tanto Dan quanto Greta, os dois personagens principais, estão em uma jornada, vão crescendo aos poucos e não há forma mais fácil de uma história me conquistar que desenvolvendo bem seus personagens. Dan, em especial, estava completamente perdido, sem emprego, sem mulher e quase perdendo a filha. (Sinceramente, eu nem sabia que uma pessoa tão fofa como Mark Ruffalo conseguiria interpretar um personagem tão decadente; na minha cabeça, ele ainda é o Matt em De Repente 30.)

Houve um momento, na última meia hora, em que eu pensei que poderia prever o final do filme e comecei a ficar decepcionada, pois seria um clichê completamente desnecessário. Felizmente, os roteiristas me enganaram, seguindo um caminho mais natural e realista. O final fecha todas as pontas, mas ainda deixa algum espaço para a imaginação, que as mini cenas durante os créditos ajudam a preencher.
When there's no one left to blame
And I have loved you just the same
And you have broken every single fucking rule
And I have loved you like a fool
(Like a fool - Keira Knightley)
Outra coisa que eu gostei bastante foi o título do filme, tanto em Inglês quanto em Português, mas especialmente quando colocados juntos. Às vezes, as coisas vão realmente dar errado e não vão melhorar, a não ser que a gente tire a bunda do sofá e comece a fazer algo a respeito. É bem essa a jornada do Dan, a vida dele só melhora quando ele conhece Greta e vê algo nela. Ele a transforma em um projeto, que os dois se esforçam para ser bem-sucedido. Se ambos não estivessem comprometidos, nada teria acontecido.

É isso que fica de lição. Se não der certo, você começa de novo e de novo e de novo. Até dar.

Keira Knightley, Mark Ruffalo e Hailee Steinfeld.
Mark Ruffalo tocando contrabaixo. MARK RUFFALO TOCANDO CONTRABAIXO.

CONVERSATION

Back
to top