5 passeios para você fazer sozinho


Em maio de 2011, eu saí da minha casa, peguei um ônibus, um metrô, outro ônibus, um avião, mais um ônibus, outro metrô e um táxi até um hotel na Zona Norte de SP, no evento que ficou conhecido mundialmente como #DeOlhoNaCintiaMCR. Tudo isso porque eu queria participar de uma conferência em que minha banda favorita ia se apresentar. E tudo sozinha. Coincidentemente, o evento ocorreu no dia do meu aniversário de 25 anos, o que fez com que várias pessoas ficassem com pena de mim, por ficar sozinha em um dia que muitos consideram importante (bla bla bla). Para mim, porém, aquele foi um fim de semana incrível. Cinco anos depois, eu ainda me arrepio quando ouço a introdução de algumas das músicas e me lembro da emoção de ter minha voz cantando junto a milhares de outras.


No último sábado, eu fui a um show sozinha pela primeira vez desde aquele evento tão memorável. Foi o lançamento do CD Problema Meu, da Clarice Falcão, em Belo Horizonte. Mas eu quase não fui. Eu soubera do show no meio de uma semana no início de Junho e, com toda a correria no meu trabalho, deixei para comprar o ingresso no sábado. Acontece que aquele foi o sábado sangrento em que eu acordei com a notícia de que uma cantora de quem eu gostava tanto quanto gosto da Clarice foi assassinada e dormi tendo que lidar com o fato de outras 50 vidas terem sido interrompidas pelo ódio. Desisti.

Algumas semanas depois, desisti de novo quando nenhuma das minhas amigas do Clube das Chocólatras quis ir comigo e desisti outra vez quando o ingresso de uma conhecida da minha irmã foi vendido antes dela conseguir falar comigo. Tudo bem, eu gosto da Clarice, mas não é tanto a ponto de ficar chateada por não ir, era melhor mesmo ficar em casa vendo Gilmore Girls. Só que, nesse momento, eu comecei a ficar incomodada. Não com a ideia de passar a noite de sábado no sofá com as garotas Gilmore, elas são sempre ótimas companhias, mas com o que me impedia de chamar um Uber, percorrer dez quilômetros e passar três horas sozinha fora de casa.

Eu gosto de ficar sozinha tanto quanto eu gosto de ficar com pessoas, eu sei ficar bem em minha própria companhia. Graças a Deus, não nasci colada em ninguém e valorizo muito a minha independência.

No meio da tarde de sexta-feira, quando toda a minha equipe saiu para lanchar, eu parei o que estava fazendo por cinco minutos, abri o site e comprei o ingresso. E não me arrependi (mais sobre isso no domingo). Por coincidência, no dia seguinte, li um post ótimo sobre isso e foi quando eu resolvi também compartilhar a minha experiência.

Julho, assim como Dezembro e Janeiro, é uma época em que as pessoas se dividem em dois grupos: Os que estão de férias e os que não estão de férias. Qualquer que seja o seu grupo, tenho certeza que você já passou pela situação de ser a única pessoa de férias ou a única a ficar para trás quando todos estão viajando. Adivinha só? Embora alguns passeios sejam mais complicados para se fazer sozinho (ir à praia, por exemplo, me parece impossível), nem sempre você precisa de alguém. Talvez, você apenas não consiga isso com clareza, mas nessa parte eu posso te ajudar.

5 passeios para você fazer sozinho


1. Restaurante

Houve uma época, há vários anos, em que eu ficava extremamente chateada se meus colegas de trabalho não pudessem almoçar no mesmo horário que eu. Hoje, ocorre o contrário. Não que eu não goste dos meus colegas ou não queira nunca almoçar com eles - eu vou, às vezes e gosto. Só que o almoço é o horário que eu tenho para mim. Dependendo do dia, aquele será o meu único momento de sossego. Estando sozinha, eu posso sair a hora que quiser, ir aonde quiser e comer o que quiser, sem ninguém perguntar por que eu não estou comendo arroz ou contar quantas azeitonas tem no meu prato (ok, eu nem tenho mais contato com as pessoas que faziam isso, mas o trauma permanece).

Pode ser um restaurante chique, que serve vinho e sobremesa de nome estranho, ou pode ser o prato feito com muito arroz e um ovo frito em cima, do boteco da esquina, experimente sair sozinho para o almoço e coma algo que você gosta muito. Depois, volte aqui e me conte.

2. Cinema

Para ser sincera, eu não costumo ir ao cinema sozinha, por um simples motivo: Eu tenho preguiça de filmes. Quando vou, é porque alguém me chamou e não porque eu tomei a iniciativa. Mas já houve algumas vezes em que eu precisava relaxar e havia um cinema estrategicamente posicionado em meu caminho. É ótimo! Principalmente se você pegar uma sessão vazia. E, se quiserem mesmo, seus amigos irão eventualmente e te deixarão comentar a respeito.

3. Show

Nem todo show é bom para ir sozinho. Sendo mulher, eu não iria a shows muito badalados ou em lugares que vendam bebida alcoólica por exemplo. Dos dois a que fui, o primeiro era um evento cristão e o segundo era em um teatro com capacidade para 600 pessoas, ambos foram muito tranquilos. Mas, considerando que você poderá se manter em segurança, eu recomendo muito. Tanto que estou fazendo as contas para saber se consigo viajar em setembro para ver a Laura Pausini em SP.

4. Parque ou praça

Uma coisa que eu amo fazer é caminhar pelas praças de Belo Horizonte, especialmente a minha querida Praça da Liberdade. Costumo fazer isso no horário de almoço, quando estou estressada ou com algum problema para resolver e volto com as energias renovadas. Também é ótimo para ler e tirar fotos.


5. Museu

Por fim, museus são os melhores lugares do mundo para passear sozinho. Porque, a menos que você queira falar mal das obras (quem nunca, não é mesmo?), você realmente não precisa de ninguém. Museu é lugar para apreciar, não para conversar, principalmente se os seus amigos não gostam de arte. Eu fui ao Inhotim, o Museu de Arte Contemporânea e Jardim Botânico de MG, com minha mãe, minha irmã e meu cunhado, e me arrependi, porque eu queria ver tudo e os três queriam parar em uma ponte para olhar os peixes passando por baixo dela.

Espero ter conseguido lhe convencer que sair sozinho pode ser ótimo. Mas calma, larga esse telefone, não precisa desmarcar todos os compromissos com os seus amigos. Apenas não se desespere da próxima vez que eles não puderem sair com você.


CONVERSATION

Back
to top