[Playlist] Clarice Falcão

Clarice Falcão

Eu já contei para vocês que, semana passada, após uma pequena epifania no meio da tarde sobre sair sozinha, eu fui ao show da Clarice Falcão em BH. Já postei comentei no Twitter, postei foto no Instagram e até inaugurei meu Snapchat (cintia.mcr) com videos de cada música. Mas tem uma coisa que ainda não contei: Eu achava que Clarice fosse mais conhecida. E não digo conhecida pela minha mãe, que iniciou um dos divertidos diálogos que só as tardes de sábado com três mulheres de personalidades completamente diferentes podem oferecer, mas pelas pessoas normais, jovens de vinte/trinta e poucos anos. Várias pessoas com quem eu comentei ou que viram minha foto disseram que nem sabiam quem era. Obviamente, eu tinha que fazer algo a respeito. Se você é um desses, seus problemas acabaram.


Clarice Falcão é pernambucana, tem 26 anos e, além de cantar e compor em seus dois álbuns - Monomania e Problema Meu - também acumula os títulos de atriz, roteirista e humorista. Mas não, gente, não é aquela atriz de How I met your mother, só parece. Ela estreou na TV em 2008, como a filha problemática de Lília Cabral e Jackson Antunes na novela A Favorita e fez parte do Porta dos Fundos, até deixar o grupo no ano passado para se dedicar ao novo CD.

Voltando a falar do que realmente interessa aqui - música - a moça seria mais uma entre as várias cantoras de MPB fofa que habitam as minhas playlists, não fosse por um detalhe: Ela é ligeiramente doida. Não literalmente. Mas as letras dela não são normais. Não é normal alguém cantar algo que critica a si própria ou conversando que alguém que nem conhece. Também não conheço muita gente que consegue soar divertida usando palavras como "paramédicos" e "necrotério" (Atenção: Ouça a música inteira, não leia o final se você não gosta de spoilers.)

No primeiro álbum, Monomania, Clarice - que namorava Gregório Duvivier - interpretava uma mulher obcecada por seu homem, tanto que não conseguia falar em outra coisa. Já em Problema Meu - ao contrário de mim e das pessoas que ficaram gritando por Gregório durante todo o show - ela parece estar superando a obsessão e as canções são bem mais variadas, tanto em letra quanto em ritmo. Ela até rebola quando deseja um banho de piscina para o ex. Um ponto em comum é que a maioria das músicas conta histórias e algumas chegam a surpreender no final (aqui, destaque para a já citada Oitavo Andar).

Se não fossem as minhas malas cheias de memórias ou aquela história que faz mais de um ano, não fossem os danos, não seria eu.
Capitão Gancho

Minha favorita absoluta é Capitão Gancho. É uma das minhas músicas favoritas da vida, a maior parte dela parece ter sido escrita para mim. Por ela ser tão curtinha, pouco mais de um minuto, eu sempre ouço duas ou três vezes em seguida e cheguei a me emocionar ao vê-la interpretada ao vivo, cantando (duas vezes) com outras centenas de pessoas. Do CD "novo", gosto de A Volta do Mecenas, que tem uma pegada quase rocker e é ótima pra ficar cantarolando sem parar.

Essa playlist inclui quase todas as músicas de ambos os CDs, só não gosto muito das músicas mais lentas, foram as únicas que removi. Ótima oportunidade para quem não conhece.

Quem conhece, veja o vídeo dela cantando junto com o Gregório Acho melhor terminar (música que eu nem conhecia) e sofra imaginando se esse amor todo não era irônico, só irônico.


CONVERSATION

Back
to top