Em Outubro - Aquele com muitas fotos


Esse post teve vários títulos temporários, o que demonstra o quão difícil de resumir foi o meu mês de outubro, tão oscilante quanto o meu humor.

Para começar, tirei dez dias de férias. Foi a primeira vez desde 2010 que eu não viajei nas férias, o que acabou despertando vários sentimentos. Meu objetivo era fazer todos os meus trabalhos da pós, mas, no final das contas, eu queria ficar no sofá lendo ou vendo séries o tempo inteiro. Às vezes, penso que voltei ao trabalho mais cansada do que antes, mas talvez a verdade seja que eu nunca sei o quanto preciso de um descanso até poder descansar. É sempre assim. Não sei como fazem as pessoas que tiram 30 dias de uma vez e depois precisam esperar 11 meses, ainda bem que eu posso dividir. Agora, é esperar por Abril - com viagem.

Um dos títulos temporários deste post fazia referência ao fato de que eu deixei de postar duas vezes no mês. Mais do que isso, decidi que os posts de quarta e de domingo estão suspensos até o final do ano. Em Janeiro, entra o novo calendário (mais leve que a loucura de postar a cada dois dias) e voltarei a falar desses assuntos.

Por fim, terminei o mês surtando na madrugada de domingo para segunda, porque faltam dois meses para o ano terminar e eu ainda não faço a menor ideia de onde estarei na virada. Parece besteira, eu sei, mas Réveillon é algo importante para mim. Em quase todos os anos da minha vida adulta, eu tive o meu fim de ano planejado em meados de Outubro - ir para a casa de amigos depois da igreja e virar a noite acordados. No ano passado, as coisas começaram a mudar e eu tenho quase certeza que não conseguirei manter a tradição desta vez, por motivos que vão desde os abstratos "a vida acontece, a gente muda" ao pragmático "vai ser fim de semana, todo mundo trabalha na segunda". Infelizmente, não consegui resolver meu dilema às 4 da manhã, mas tive algumas ideias durante o dia e até consegui uma opção mais barata (e menos deprimente) que pagar um uber para rodar comigo a noite inteira.

Destaques


Não há problema em ser mediano

Eu fiquei muito tempo pensando nesse post e em como escrevê-lo da melhor forma possível e, ironicamente, ele acabou não sendo tão bom quanto eu imaginava - o que, no final, foi uma coisa boa. É algo que eu tenho que dizer a mim mesma muitas vezes e que, talvez, também lhe faça bem ouvir de vez em quando.

Let's Go Photo 2016 - Eu fui

O post em que eu conto da maratona fotográfica de que participei, uma experiência diferente que tive de passear pela minha própria cidade. Aqui estão algumas das muitas fotos a que o título se refere. Ainda pretendo postar várias outras no Instagram ou utilizá-las nos posts, mas são tantas fotos que eu ainda não tive ânimo para editar todas.

Uma foto publicada por Cíntia Mara (@cintiamcr) em

Fall Season 2016 - As amadas e as abandonadas

Este foi o post que eu mais gostei de escrever, em que falo sobre todas a séries novas que andei assistindo. Há três pelas quais eu já me apaixonei completamente e espero ansiosa pelos episódios a cada semana.

Pele Oleosa - Minha rotina de cuidados

Várias coisas que eu tenho feito para melhorar minha pele e que, talvez, sejam úteis para alguém mais.

[D52] Minhas melhores qualidades

Também conhecido como o post mais difícil de escrever do desafio, onde vocês podem me ver mais vulnerável do que eu normalmente me sinto confortável.

Em Outubro, eu...


Li



Continuo lendo muito, para compensar os três anos de inatividade na minha pobre estante. Tenho alternado entre continuações de séries, livros que tenho há muito tempo e livros que comprei ou ganhei este ano.

Terminei A Irmã de Ana Bolena, segundo volume da série de Philippa Gregory (e também assisti ao filme de mesmo título). Li Becky Bloom ao Resgate, oitavo da série de Sophie Kinsella, e aproveitei para ler também o ebook Shopaholic on Honeymoon, com algumas páginas que se passam entre o terceiro e o quarto. Depois, li para o Clube das Chocólatras, A Máquina de Contar Histórias - livro que realmente parece ter sido escrito por uma máquina. Em seguida, foi a vez de Anexos, da Arco-Íris autora de Eleanor & Park e terminei Sisterchicks in Sombreros, que eu começara havia mais de um ano. Por fim, li o famoso Diário de Uma Paixão, apenas para descobrir que Nicholas Sparks não consegue mais me emocionar como antes, e tirei da pilha Dias Melhores Virão, que conta a história de uma jovem com o rosto deformado tentando produzir sua série em Hollywood.

Agora, estou terminando De Repente Acontece, um romance adolescente sem nenhuma profundidade da autora Susane Colasanti.

Nenhum desses terá resenha no blog, mas, se quiserem, vocês podem acompanhar tudo pelos meus históricos no Skoob.

Assisti



Segundo o Banco de Séries, foram 58 episódios, meu recorde nos últimos 12 meses. Já falei sobre as estreantes, então não vou repetir. Das antigas, esta semana estreou Life in Pieces, que entrou para a lista cada vez maior de comédias que me fazem chorar, e abandonei Supergirl, que é boa, mas perdi a vontade de assistir quando soube que a minha personagem favorita (Cat Grant, interpretada por Calista Flockhart) não estaria mais tão presente quanto antes. Além disso, os primeiros episódios da série trouxeram o personagem do Superman que, por mais que seja o super-herói mais conhecido e amado do mundo, eu não consigo gostar. A verdade é que eu quero mais vilões legais, não mais heróis perfeitos e sem nenhuma graça.

Ouvi

Outubro foi um mês muito musical. Além de uma playlist, um post sobre o The Voice e um sobre algumas das músicas que mais tenho ouvido ultimamente, eu fui a três shows.

No último sábado, foi o lançamento do CD da banda de um colega, Espigão. Confesso que eu só comprei o ingresso porque minha chefe me chamou para ir com ela, porque eu nunca havia ouvido a banda. Felizmente, gostei muito.

Duas semanas antes, teve Luiza Possi fazendo um show delicioso de voz e teclado em Contagem, que só me fez gostar ainda mais da cantora - que tirou os sapatos assim que subiu ao palco e interagiu com o público o tempo inteiro. Mal posso esperar para ir a um show completo dela!

Voltando um pouco mais, na primeira semana do mês, eu fui ao show Meu Canto, da Sandy - que também foi lindo. Termino aqui com uma das músicas do DVD, que me fez chorar (eu não estava bem e, como já disse, shows são ótimos lugares para chorar).


CONVERSATION

Back
to top